sábado, 16 de março de 2013

Uma questão de "autoridade" - PARTE 2

Sim! A autoridade dos pais é antes de qualquer coisa, um projeto de Deus para a humanidade.

Porém, é importante lembrar os filhos precisam ver nos pais referenciais para a sua vida. Não é só obedecer, pois isso simplifica e empobrecer o termo. Honrar é mais do que apenas obedecer, é acreditar que ouvir os conselhos dos pais é se permitir ser abençoado e cuidado por aquele é capaz de dar a vida no lugar do filho amado.

Na Bíblia, há vários relatos de relações entre pais e filhos: vamos comentar dois casos.

Jacó e José, Manoá e Sansão. Duas histórias muito diferentes.



José era um filho obediente e confiante no valor das palavras de seu pai. Seu nome significava "que Deus acrescente". Tinha sonhos, mas a sua história de vida teimava em leva-lo ao desânimo. Mesmo sempre dando o seu melhor, foi traído pelos irmãos, vendido como escravo, foi feito "coisa" e levado cativo. Como servo, dedicou-se ao extremo até que como prêmio, ganhou a prisão. No cárcere, foi zeloso e cumpridor de todas as suas obrigações e como reconhecimento, o esquecimento do copeiro por muito tempo. Longos dias se passaram até que muito depois, o copeiro buscou em sua longíqua memória a história de José. E a história mudou.

José teve tudo para dar errado, para fracassar, para desejar que seus dias terminassem. Mas ele foi levado a uma das posições mais elevadas do mundo antigo. Ele venceu. Seu segredo? Um deles, com certeza, honrar as autoridades espirituais que fizeram parte de sua vida. Um dia, quando José ainda era garoto, seu pai o chamou: José! O garoto simplesmente disse: Eis-me aqui!  (Gn. 37.13) Era era a realidade de José, dar o seu melhor honrando aqueles que eram autoridades espirituais sobre a vida dele.

Sansão. Quantas crianças e adolescentes não sonham e serem como Sansão: a alegria de que era separado por Deus desde o nascimento", a grande força, a sua inteligência e pensamento rápido que fez dele um dos principais juízes de seu povo, a beleza do um homem que se destacava sobre todos os outros. Enfim, Sansão tinha tudo para dar certo! Era um grande homem! E a história mudou.

Sansão teve tudo para dar certo, para triunfar, para projetar longos e prósperos anos. Porém, nos seus últimos dias viveu como um boi que move uma engrenagem, sem esperança, sem motivos para sorrir, sem causas para julgar, cego e com o seu povo sofrendo nas mãos dos filisteus. Qual o motivo dessa trágica virada? Sansão tinha problemas em reconhecer e honrar suas autoridades espirituais. Um exemplo, ainda muito jovem ouviu o seu pai lhe dando um conselho: Filho, não busque um esposa entre o povo inimigo. Mas Sansão, sorrio e disse: Vou atrás da que me agrado! Em outras palavras: O meu desejo pessoal está acima da vontade das autoridades espituais para mim! (Jz. 14.3)

Filho, honre suas autoridades espirituais! E prepare-se para o que Deus poderá fazer em sua vida! Mas, você sabe que muitas são as autoridades espirituais sobre a nossa vida? Vamos refletir um pouco sobre isso, mas esse é um assunto para uma outra postagem.

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

É para mim uma honra acessar ao seu blog e poder ver e ler o que está a escrever
reparei que se tem esforçado por nos dar o melhor,
é um blog que nos convida a ficar mais um pouco e que dá gosto vir aqui mais vezes.
Posso afirmar que gostei do que vi e li,decerto não deixarei de visitá-lo mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se ainda não segue pode fazê-lo
agora, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
Que a Paz de Jesus esteja no seu coração e no seu lar.