domingo, 26 de abril de 2009

ISAQUE E REBECA:

Hoje enquanto eu estava lendo a Bíblia Sagrada fui levado ao livro de Gênesis. Que belo livro!

Em especial, me debrucei sob a história de dois jovens, Isaque e Rebeca. Duas pessoas que não se conheciam até um certo dia. Veja bem! Um não tinha consciência da existência do outro! Mas, num dia especial tudo mudou.

Isaque e Rebeca apenas tinham sonhos. Tento idear os sonhos que ambos possuíam e assim descubro que um era o sonho do outro! Isaque sonhava com uma esposa que viesse a acrescentar e honrar os valores de sua linhagem. Uma esposa que fosse alguém do seu povo, com uma mesma fé! Boa mãe e fiel companheira. Rebeca sonhava com um moço alto e trabalhador. Fiel a Deus e obediente aos ancestrais. Um amigo e protetor.

Isaque sonhava com Rebeca e Rebeca sonhava com Isaque!

Ainda tento idear e me arrisco a vislumbrar quantas vezes Isaque, à noite depois de recolher o gado, deitou por cima de uma capa de couro nas areias ainda quentes do Oriente Próximo e buscou imaginar a cor dos cabelos e o brilho dos olhos daquela que viria a ser a concretização de seu maior sonho! Ficava conversando com o Deus de seu pai Abraão sobre como valia a pena abster-se dos prazeres que as mulheres de sua cidade lhe ofereciam e nos ensinamentos de Jeová meditava até ser visitado pelo sono.

Havia em Rebeca sonhos semelhantes. Os homens que a seguiam com o olhar enquanto ela ia com seu pesado cântaro buscar água não a sensibilizava. O brilho não estava nos olhos deles. Suas palavras não revelavam a graça divina! Rebeca vagarosamente enchia seu cântaro e a caminho de casa entoava cânticos pensando no dia em que seu destino seria a sua própria casa e de seu amado. Que belos sonhos povoavam a mente da jovenzinha! Ela olhava as planícies e pensava no dia em que faria aquele caminho pela última vez! Ela sonhava com um esposo temente a Deus, sensível e que amasse ela intensamente!

Vamos recordar a história de Isaque. Menino criado por pais idosos, piedosos, que conheciam e falavam com Deus. Cresceu sob as promessas de ser canal de benção na vida de seus pais. Mas quando adolescente teve a mais importante prova de fé da sua vida! Todos falam de Abraão e sua grande virtude! Mas, Isaque foi um adolescente de admirável fé, submisso aos pais, temente a Deus e humilde. Ele logo percebeu ao subir a terra de Moriá que alguma coisa estava “errada”. O cordeiro estava ali! E era ele! Abraão em lágrimas o abraçou e chorou copiosamente. Pegou dois feixes de cordas de couro e começou a amarrar as mãos do menino. Ele poderia fugir. Sair correndo, sim! O pai só poderia estar louco! Talvez eu fizesse isso. Talvez você fizesse isso. Isaque não fez! Ele estendeu as mãos e, com o rosto banhado de lágrimas, se deitou sob o altar que ele mesmo havia ajudado a erguer enquanto o pai agora amarrava seus pés. Ele confiava em Deus, ele tinha fé! Abraão e Isaque, pai e filho, exemplo e exemplo.

Rebeca! A Bíblia quase não fala a respeito de sua infância. Mas, dou asas a minha imaginação. Ela tinha uma vida íntima com Deus! Ela sabia como falar e ser ouvida pelo pai celeste. Ela sabia perceber qual a vontade de Deus para sua vida! Quantas vezes Betuel, chegando nervoso do campo, ao abrir a porta da sua casa era recepcionado por uma menininha de oito anos correndo com os cabelos soltos e pulando em seu pescoço suado! Há, ela era ferramenta de Deus! Imaginem o peso de um cântaro! Agora, imaginem o primeiro dia em que ela foi até a fonte buscar a água da família. Meio desajeitada, porém, motivada pela vaidade, com os cabelos amarrados com um lindo lenço azul. Seu pai, o velho e atencioso Betuel acompanhando de longe. E ela já se levantando do terceiro tropeço e rindo do seu “jeito” com o pesado cântaro. Isso que o recipiente ainda estava vazio. Mas teve uma hora que Betuel coçou a barba e sorriu. Rebeca voltava para casa com a água e mesmo depois de derramar metade do líquido em cima de si cantava um cântico de alegria! Ela era especial e Betuel descansou grato a Deus. Como Rebeca era objetiva, sincera, prestativa, comunicativa e alegre! Rebeca, assim com Abraão e Isaque, exemplo!

Porém, minha imaginação me leva a ver que eles tinham algo em comum! Você pode pensar, eles queriam uma vida calma, sucesso profissional, uma confortável moradia, lindos e fortes filhos e uma “geladeira” cheia de bons alimentos e refrigerantes da Coca-Cola. Um carro confortável também ajudaria. Mas, não é isso que eles tinham em comum! Há, então já sei! Eles tinham em comum o amor! Não, isso também não.

Eles tinham em comum a certeza de que os sonhos que o Deus de Abraão tinha para eles eram os melhores sonhos que alguém poderia sonhar! Eles sonhavam os sonhos de Deus! Tudo o que você leu no parágrafo anterior é importante. Quem não quer um bom emprego, filhos saudáveis e um bom lugar para descansar a noite? Quem não quer amar e ser amado? Eu quero! Você quer! Mas o que Isaque e Rebeca tinham em comum era algo muito mais profundo do que isso.

Jeová estava à frente. Eles eram um belo sonho de Deus! E eles se colocaram no centro da vontade de Deus e o sonho se realizou!

Se colocar no centro da vontade de Deus, deixar que o sonho de Deus se realize em nossas vidas não é tarefa fácil! E não foi para Isaque e Rebeca.

Isaque esperou quarenta anos pela mulher que o Pai havia preparado para ele. As moças da terra onde ele habitava, penso, não o deixavam em paz. Colocavam os mais cheirosos perfumes e as roupas mais belas. Mas, Isaque queria sonhar o sonho de Deus! Rebeca abandonou sua terra natal na companhia de um homem estranho para conhecer um jovem de quem ela apenas tinha ouvido falar: Você faria isso?

Não é fácil sonharmos e vivermos os sonhos que Deus reservou para nós! Mas há um dia especial! Sempre há o dia em que o sonho nos faz despertar de manhã e ter a certeza de que nunca mais seremos iguais. A certeza de que aquele momento exercerá um papel de marco divisor de nossas vidas! É o Deus de Abraão, Isaque e Rebeca cumprindo os sonhos do seu coração!

O livro de Gênesis assim relata esse magnífico dia na vida de Isaque e Rebeca:

“Saiu Isaque a meditar no campo, à tarde e, levantando os olhos, viu que vinham camelos. Rebeca também levantou os olhos e, vendo a Isaque, saltou do camelo”.

O texto é curto, porém revela o dia mais importante na vida conjugal de Isaque e Rebeca. O dia em que eles disseram para Deus: Senhor! Nós queremos viver os sonhos que Tu sonhastes para as nossas vidas!

2 comentários:

Adelita Olbrisch disse...

Professor!!!!!!
Que texto lindo e romântico!
Fiquei flutuando!!!
Fazia tempo que não lia algo tão apaixonante!...

DTA
Abraços.

taguinho_@hotmail.com disse...

Marcos, você é show.
se eu quiser mandar via e-mail um testemunho( sobre o livramento de morte que Deus me deu no final do ano passado, você posta?
aguardo uma resposta,
abraço maninho

fica com Deus.
Saudades

taguinho